COLUNA: Os caminhos que levaram à derrota

abril 10, 2014 | -, COLUNAS, RANIERI BARRETO

 

Foto: Folha de Pernambuco

Analisei como venceríamos o Sport. Justo analisar como fomos vencidos, afinal, sábio é quem aprende na derrota.

O Sport fez um futebol que eu sou fã: juntamente com o tiki-taka da Espanha, sou fã desse futebol de forte marcação que o time do Sport apresentou. O sistema de três volantes do Sport foi realmente incontestável e engoliu o sistema de criação do Ceará.

Perdemos o jogo quando Wendel e Rodrigo Mancha engoliram, completamente, Ricardinho e Souza. Destaque negativo para o Magno Alves que pouco se movimentou, combateu e brigou, pouco saiu da marcação, era facilmente anulado por Durval e Ferron e ainda perdeu as melhores chances de gol da equipe.

Souza, Ricardinho e Magno Alves anulados: o futebol do Ceará se limitou nas investidas do Samuel, dribles do Assisinho e na raça do Bill.

O Sport adiantou a marcação pra cima do nosso meio e conseguia, ainda, chegar com mais consistência ao ataque. Achamos o gol, perdemos tantos outros em momentos raros de falha na defesa do Sport e sofremos o golpe aos seis do segundo tempo. O time sentiu que as forças para marcar os precisos três gols não bastava. Sport gigante na marcação, gigante no futebol de resultado proposto, mereceu o título.

As lições tiradas desse revés?

a) A mudança tática da equipe que começou o ano para a desse final é determinante: não temos um camisa 10 efetivo, centralizado e agudo. Jogamos com Ricardinho e Souza armando o time de longe e só;

b) Souza não merece a 10 de um time que tem as pretensões do Ceará;

c) Assisinho: habilidoso e rápido. Não tem muito brio para dar passes ou finalizar. Não pode ter tamanha responsabilidade de ser o principal jogador a atacar numa final assim;

d) Crise na lateral esquerda;

e) Magno Alves precisa de um substituto a altura ou melhor que ele. Essa deve ser a última temporada do Magnata.

Ranieri Mena Barreto (@ranierimena)

Equipe Vozão.com

Em Prol do Grande Ceará

Tags: