Colunas: A Teimosia que cega, por Andrade Neto.

setembro 13, 2014 | ANDRADE NETO, COLUNAS

O futebol não perdoa a falta de humildade, e o não reconhecimento de erros. Os números para isso servem para que os entendidos de tática e montadores de esquemas visualizem seus defeitos, e com humildade mudem, para melhor. A história mostra que as equipes que não tiveram essa humildade saíram perdedoras, no Ceará temos dois exemplos recentes: As últimas rodadas do Brasileiro da série B do ano passado, quando a equipe capengava fisicamente e não conseguia mais marcar, e assim perdeu seus útlimos jogos decisivos dando adeus ao acesso. Já esse ano a final contra o Sport no Nordestão, ao não se respeitar a equipe pernambucana no primeiro jogo da final se mandando todo para o ataque, onde se perdeu um jogo que poderia ser bem controlado.

Os números do Ceará no Brasileirão da série B são surpreendentes, e mostram que o acesso está muito longe do alvinegro. Com a Segunda pior defesa da competição, (33 gols tomados em 22 jogos com uma média de 1,5 gols por partida) o Ceará demonstra ser um time defensivamente fraquíssimo. Para piorar, desde o início dos pontos corridos na série B (em 2006), NUNCA houve um time que estivesse entre as 4 piores defesas da competição que chegou a conseguir o acesso. A coisa piora mais ainda quando pegamos os 4 últimos jogos do Ceará (Botafogo, Oeste, América-MG e Náutico), onde o alvinegro tomou 11 gols, tendo uma média de quase 3 gols/partida, isso sim era para deixar a comissão técnica de orelha em pé. Se querem outro número preocupante, fazem exatos 12 jogos em que o Ceará não consegue passar sem tomar um gol do adversário. Será que isso está certo?

Mas ao que parece não deixou nenhuma orelha em pé do treinador, muito pelo contrário, a falta de humildade foi tanta, que Sérgio Soares preferiu entrar com um volante improvisado de zagueiro, do que apostar em um um zagueiro recém contratado no banco de reservas. Ou melhor, se a zaga estava não tão segura, porque não mudar o meio, e deixar o time com um pouco de mais pegada no meio-campo?

A verdade é que o torcedor alvinegro é muito grato ao treinador Sérgio Soares por ter levado o time à final do Nordestão, mas o título não veio, o tetra às duras penas veio, a Copa do Brasil fizemos uma boa campanha mas também não deu, e na série B estamos parecido como no ano passado tivemos um bom momento, mas precisamos reagir. Agora vem a diferença entre um grande treinador, e confiamos que Sérgio Soares é, pois os grandes treinadores reconhecem os defeitos em seus sistemas de jogo e consertam, os ruins ou por desconhecimento de outros esquemas, ou mesmo por falta de sensibilidade, deixam a coisa correr solta, e terminam por ficar no quase. Esperamos que dessa vez não seja quase, mas sim o tão sonhado acesso.

 

Andrade Neto

Tags: