Assim como em 2015 os anões caminham para a zona.

maio 24, 2016 | JOGO, NOTICIAS

A série B sempre foi conhecida por um competição de força, onde o físico dos atletas, e o jogo de meio campo é primordial para se vencer as partidas. O que assistimos hoje no Ceará é exatamente o contrário, jogadores de força como Bill e Baraka são preteridos a atletas que não passam de 1,70 em campo, formando um time que na estatura não faz cócegas a nenhum adversário. Assisinho, Alex Amado, Rafael Costa, Cametá, Thalysson e Felipe completaram o time abaixo de 1,75m sendo mais uma lição para o treinador Sérgio Soares.

O jogo de hoje o Ceará até parecia que faria algo de diferente, um bom começo envolvente, onde Serginho era o principal articulador das jogadas encostando em Rafael Costa. Não demorou para  Felipe ficar na cara do gol e perder uma boa oportunidade aos 25 minutos do primeiro tempo. Depois disso, o meia Serginho sentiu uma contusão e saiu, com ele se foi a criação do Ceará, e com a entrada de Assisinho o time tornou-se acéfalo, vivendo de bolas alçadas na área.

Veio o segundo tempo, e manteve-se a mal produção, até que o treinador tirou Tomaz Bastos e colocou em campo Alex Amado. Sérgio Soares pensava em dar mais velocidade, mero engano, deu foi mais campo para o adversário, que não assustava nos contra-ataques, e começou a ficar na cara do gol, e não demorou para marcar o primeiro aos 37 minutos.

O alvinegro ainda tentou, mas não deu, no final fica a lição, assim como no ano passado, quando tínhamos um time de jogadores com estatura baixa, e perdíamos o meio campo para todos os times, não tendo força física para vencer as disputas de bola em campo, caminhamos esse ano do mesmo jeito. Ou o treinador começa a investir em jogadores que deixem esse time mais “cascudo”, como por exemplo Bill e Baraka, ou é melhor olharmos para a parte de baixo da tabela, pois a nossa meta não passará dos 45 pontos.

Tags: